Sinpro ABC se solidariza aos professores perseguidos pela UFABC

A direção do Sindicato dos professores do ABC (Sinpro) vem a público prestar solidariedade aos professores Giorgio Romano, Valter Pomar e Gilberto Maringoni, da Universidade Federal do ABC.

Os docentes estão sendo vítimas de um processo investigativo por parte da Controladoria Geral da União, por terem promovido o lançamento de um livro nas dependências da universidade: "A verdade vencerá", do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

A perseguição se origina de uma denúncia anônima, que ganhou proporções punitivas, diante de um judiciário parcial, atuando com pesos e medidas diferenciados, sendo impulsionado pelo ranço conservador.

No caso da universidade (UFABC), há uma ameaça ao livre pensamento, ao direito de reunião e à autonomia das instituições. Os inquiridores querem saber se houve, no evento, manifestações de "apreço" ao ex-presidente Lula e de "desapreço" ao governo atual, em um indicativo de se criminalizarem manifestações de opinião, direito garantido pela Constituição de 1988.

O Sinpro ABC indigna-se com o atual estágio de tolhimento da liberdade de pensamento e de expressão, que vem sendo imposto pelo judiciário político partidário e conclama a categoria a lutar pela democracia e liberdade de cátedra dos docentes.

Direção Sinpro ABC


Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Mais Lidas