Ato no Dia Internacional de Luta da Mulher rejeita desmonte da Previdência

Milhares de mulheres se reuniram por todo o País, nesta quarta-feira (08) dia Internacional da Mulher. Em São Paulo as manifestações aconteceram em diversos pontos da cidade. Depois dos atos, as mulheres saíram em caminhada e se uniram na região central da cidade, enfrente a sede da prefeitura.

Desde o início da tarde, organizações dos movimentos sindical e sociais reuniram uma multidão de mulheres, estimadas em 60 mil pela organização do evento, que marcharam da Praça da Sé até o Viaduto do Chá.

No caminho encontraram profissionais do magistério que, em assembleia no vão livre do Masp, decidiram cruzar os braços no próximo dia 15 contra o roubo da aposentadoria proposta pelo governo Michel Temer (PMDB).

Os profissionais da educação votaram também o repúdio à Reforma da Previdência e rejeitaram a apresentação de qualquer emenda ao projeto do governo.

Dia 15 de Março – Greve Geral Nacional da Educação

Além da fundamental batalha pela igualdade de gênero, a autonomia sobre os corpos foi outro ponto presente na manifestação. Em tempos de retrocesso, esse é um eixo fundamental para combater a violência contra elas, apontou a Secretária da Mulher Trabalhadora da Central Única dos Trabalhadores, Juneia Batista.

“As mulheres saíram às ruas do país pelo combate à violência de gênero, pela autonomia dos nossos corpos, pela legalização do aborto, mas, sobretudo, concluíram que a Previdência é muito cara, principalmente para as mulheres. Então, hoje gritamos reaja ou morra trabalhando. Esse foi um esquenta para o próximo dia 15 de março”,disse.

Já a dirigente de base rural, a secretária de Formação da CUT, Rosane Bertotti, lembrou justamente das rurais, que terão de trabalhar cinco anos a mais, caso a reforma de Temer passe.

“As campesinas acordam muito cedo, labutam, tem tripla jornada e agora são vítimas de um desrespeito. Coisa de quem não sabe que no ambiente rural a gente começa a trabalhar muito mais cedo”, definiu.

Com informações da CUT


Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Mais Lidas