Direção do Colégio Fênix divulga nota para confundir pais sobre irregularidades trabalhistas

Diante do episódio de violência promovido por pessoas ligadas à direção do  Colégio Fênix, no último dia 25/06, quando diretores do Sindicato dos Professores do ABC (SINPRO) realizavam uma atividade próximos ao colégio e foram agredidos verbal e fisicamente por pessoas que se diziam familiares e amigos dos donos da escola, a direção da Instituição de Ensino divulgou uma nota aos pais, responsabilizando o SINPRO ABC pelo ocorrido.

No entanto, a direção do sindicato vem a público, para informar a comunidade escolar e a sociedade que esta entidade sindical atua para defender os direitos trabalhistas da categoria (professores e professoras) e não é conivente com nenhuma instituição de ensino que explora e desrespeita os direitos dos docentes, não cumprindo com suas obrigações trabalhistas e fiscais.

Com a nota divulgada pela direção, a escola busca confundir os pais faltando com a verdade sobre a real situação dos profissionais que trabalham na Instituição e cuidam da educação de seus filhos.

Na nota, os mantenedores afirmam que mantém uma boa prática trabalhista e administrativa, mas não comprovam a atuação.

 Já o SINPRO ABC tem como provar o desrespeito às regras trabalhistas.  O Grupo Fênix de Educação foi autuado pelo Ministério do Trabalho e Emprego – Gerência Regional em Santo André, nos processos: 46262.004240/2014-15 e 46262.003682/2014-36 e foram lavrados os seguintes Autos de Infração: 207856168, 207856176, 207856192, 20607996-6, 20607997-4, 20607998-2, 20578159-4, 20578158-6, pelo descumprimento dos direitos trabalhistas. São eles:

  • Não recolhimento do FGTS
  • Não recolhimento do FGTS rescisório
  • Não recolhimento da Contribuição Social Rescisória
  • Irregularidades no pagamento de férias e do terço constitucional
  • Irregularidades no fornecimento de cestas básicas

O Sindicato dos Professores do ABC é contra qualquer tipo de violência, e têm recebido manifestações de apoio de diferentes entidades, que repudiaram esses atos, aos quais foram submetidos os professores, representantes do sindicato.

Ressaltamos ainda, que o Grupo Fênix de Educação foi convidado, por meio de ofício, para uma reunião no SINPRO ABC, a fim de se posicionar frente às diversas irregularidades trabalhistas, mas não compareceu, demonstrando que a gestão escolar não prima pela melhoria nas relações de trabalho.

Vivemos numa sociedade democrática, onde a garantia de expressão e manifestação são constitucionais. O SINPRO ABC não se cala frente ao poder econômico.

Não vamos nos intimidar com atitudes repressoras por parte dos patrões que incitam a violência.

Exigimos o cumprimento dos direitos trabalhistas!

Nenhum direito a menos!


Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Mais Lidas