Patrões continuam surdos, cegos e mudos na campanha salarial dos professores

O sindicato patronal tem se calado nas negociações salariais da categoria, para avaliar o que acontecerá no país com o pedido de impeachment da presidenta Dilma. Tanto o SESI/SENAI, quanto o Ensino Superior não apresentam propostas e tudo indica que será necessária a intermediação da Justiça do Trabalho. Já o Ensino Básico, representado pelo SIEEESP, Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo, tem pelo menos, ouvido os professores e professoras para tentar uma negociação. Nesta semana, o SINPRO ABC, juntamente com os demais sindicatos filiados à FEPESP, discutiram uma nova proposta para a categoria, que foi encaminhada aos patrões. De acordo com José Jorge Maggio, presidente do sindicato dos professores do ABC, os patrões deverão dar uma devolutiva até o final da próxima semana. Segundo ele, a nova proposta contempla: 11,50% de reajuste, sendo 7% retroativo a março e o restante pago em setembro e em outubro o pagamento de 18% de PLR ou abono especial. Caso não haja entendimento o sindicato dos professores deve procurar o Tribunal Regional do Trabalho para mediar as negociações em todos os segmentos: Básico, SESI/SENAI e Superior.


Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Mais Lidas