Últimas Notícias:
17 / 11
Ato em defesa da liberdade PDF Imprimir E-mail
Destaque
Qui, 01 de Novembro de 2018 20:56

Ato em defesa da liberdade de Cátedra dos professores

Na última terça-feira (30/10), a Escola Liceu Jardim em Santo André, após a ação de apoiadores do projeto Escola Sem Partido demitiu sumariamente a professora de história J. L., num violento ato de agressão contra o direito de liberdade de cátedra da profissão docente.

Trata-se de demissão inaceitável numa clara atitude contrária aos princípios educacionais inscritos na Constituição e na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

O Sindicato dos Professores do ABC faz um chamado às entidades sindicais, os movimentos sociais, ao movimento estudantil e aos defensores da democracia e do livre pensar para participarem de ATO PÚBLICO na porta da Escola Liceu Jardim em Santo André.

ATO EM DEFESA DA LIBERDADE DE CÁTEDRA!
Liceu Jardim
Dia 6.11 (Terça) - 6h30
Rua Silveiras 70 - Vila Guiomar - Santo André

SINDICATO DOS PROFESSORES DO ABC
www.sinpro-abc.org.br

Lei da mordaca asssl

 

Comentários  

 
0 #3 César Ochiutto 03-11-2018 15:43
Prezado Sindicato dos Professores do ABC. Sou professor da Metodista e gostaria de entender esse "Ato"! Estão indignados com a demissão de um professor e onde voces estão em relação a dezenas de professores que não estão recebendo salários em dia na Metodista? Esse tema não da IBOPE né? Lamentável a postura desse sindicato! Voces não defendem os direitos trabalhistas? Não estamos tendo depósito em nossas contas de FGTS! A instituição Liceu Jardim é uma instituição particular que tem direito de demitir a admitir quem bem entender. Vocês são oportunistas e não defendem os professores!
Citar
 
 
0 #2 Roberto 02-11-2018 04:06
Tudo besta
Citar
 
 
0 #1 Leandro 02-11-2018 01:17
Seria cômico se não fosse triste, mas não falo da situação e sim desse site alimentado por fake news e que de maneira alguma age em busca da verdade. Como aluno do Liceu Jardim sinto-me na necessidade de avisa-los que a escola agiu e age de maneira a preservar não apenas a imagem de seu atual corpo docente mas também a da professora de história Juliana Lopes. Sobre a questão ideológica a professora foi desligada de forma a evitar um processo de pais de alunos (aliciamento de menores) contra a mesma e contra a própria instituição, dessa maneira ,infelizmente, a demissão era a melhor escolha para ambos. Ainda sobre a demissão a questão partidária ja mencionada foi um dos fatores, pois a escola ja havia entrado em conflito com a profissional outras vezes por outros motivos que não cabe a nós julgarmos.
Toda forma de protesto contra a censura é válido mas vocês estão culpando a “pessoa” errada.
Ass: Aluno anônimo.
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar