Últimas Notícias:
17 / 11
Nota Oficial - Sinpro ABC PDF Imprimir E-mail
Destaque
Qui, 01 de Novembro de 2018 17:15

NOTA REPUDIO sem nome face siteNota de repúdio do Sinpro ABC contra a demissão da professora em Santo André

O Sindicato dos Professores do ABC, representante legal dos docentes das escolas particulares dos municípios de Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul, vem a público manifestar seu repúdio com relação à demissão da professora JL, pela direção da Escola Liceu Jardim, situada no bairro Campestre em Santo André.

A professora foi demitida na última terça-feira (30/10), após ser comunicada pela direção do colégio, de que sua posição - pessoal política - estava sendo questionada por parte de alguns pais de alunos, devido a postagens em sua rede social pessoal (Facebook), com críticas ao presidente eleito.

Segundo a direção do Liceu Jardim, a demissão foi exigência desse grupo de pais, que ameaçou entrar na justiça contra a professora, alegando aliciamento de menores. Para não prejudicar a imagem da escola, a diretoria do colégio optou por demitir a profissional, haja vista, que a instituição está em período de matrículas para 2019.

Inspirados em ditaduras, setores de extrema direita acusam os professores de “doutrinadores ideológicos”, o que é inaceitável, já que o papel do docente é oferecer ao aluno acesso a diversas propostas de conteúdo, fomentando o debate e possibilitando a formação de consciência crítica.

Lembramos ainda, que a Escola é um espaço social de convivência democrática, que deve incentivar o questionamento e abrigar diversas formas de pensamento, tornando os alunos, seres intelectualizados, pensantes e críticos diante da realidade, proporcionando-lhes o crescimento profissional e a transformação social.

Diante desse grave fato, o SINPRO ABC se solidariza à professora JL e repudia a atuação da Instituição de Ensino e dos pais, que inferiram no direito fundamental da Liberdade de expressão, sendo a demissão um desrespeito à Constituição de 1988, à liberdade de cátedra e à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de 1996, que trazem em seu escopo a compreensão de que a educação é dever da família e do Estado, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana.

Nós professores e professoras, articuladores de uma sociedade pluralizada, não podemos nos calar diante de propostas que destroem a educação e criminalizam docentes, incentivando à sociedade, a prática de perseguição e retaliação dos que transmitem o conhecimento.

O Sindicato dos Professores do ABC não vai se calar diante das perseguições e injustiças cometidas contra os professores e professoras e se coloca à disposição dos docentes para tomar as devidas providências, cabíveis em lei, em benefício da categoria.

Direção Sinpro ABC!

 

Comentários  

 
-1 #14 Maria Regina 05-11-2018 10:01
Escolas devem se unir e defender seus professores. Este ato é a forma de reprimir outros para se calem. Nunca colocaria meus filhos em uma escola assim. Meros repetidores, sem pensamentos críticos podem ficar nos computadores. As pessoas podem se falar, mas com certeza o futuro desta escola é duvidoso.
Citar
 
 
+1 #13 Kátia Denise Moreira 05-11-2018 01:53
Sou contra a atitude da escola Liceu Jardim de demitir a docente por motivos políticos.Acredito que o professor deve ter autonomia para difundir conhecimentos e se posicionar como sujeito social.
Citar
 
 
+1 #12 Kátia Denise Moreira 05-11-2018 01:50
Não posso concordar com a atitude tomada pela escola Liceu Jardim ao demitir uma profissional por motivo político.A escola é lugar de construção de conhecimento w respeito à pluralidade de idéias , ao professor deve ser garantida a autonomia de posicionamento como ser social !
Citar
 
 
+1 #11 Analice dias 04-11-2018 19:49
Eu como cidadã, fico revoltada de lê uma notícia dessa. Onde vamos parar,se não podemos expressar nossa opinião? Eu espero que o sindicato, não param por aí, e tomar uma providência mais cativeiro contra estas escola e país dos alunos.
Citar
 
 
+1 #10 renata meijome 03-11-2018 22:35
Lamentável
Citar
 
 
0 #9 Darcy de Oliveira Gr 03-11-2018 17:42
QUE A ESCOLA MUDE SUA FACHADA PRA "ESCOLA SEM PARTIDO E PROFESSORES Q COMUNGUEM COM ESSAS IDEIAS...
UM ABSURDO PQ OS PAIS POSTAM EM SEU FACEBOOK SUA PREFERENCIA POLITICAS INCENTIVANDO TB
SEUS FILHOS...SE A IDÉIA É NÃO INLUENCIAR CRIANÇAS OS PAIS TB SÃO RESPONSÁVEI. PRA MIM É MAIS UMA RETALIAÇÃO UMA VINGANÇA IGNORANTE CONTRA PROFESSORA POR ELA SER DE PARTIDO ESQUERDA...EU NÃO COLOCARIA MEUS FILHOS EM UMA ESCOLA ASSIM.
PAIS DEVERIAM MAIS É ESTAR PREOCUPADAS COM ARMAS Q SEUS FILHOS PORTARÃO....
Citar
 
 
0 #8 Arlete Andrade 03-11-2018 16:27
Professor(a) merece todo respeito e honras, pois é a profissão que a pessoa se dedica de corpo e alma, é um dom. Se sabemos ler e escrever é porque tivemos um professor. Todo mundo teve um professor na vida. Muitos fazem o papel de pai e mãe, de psicólogo, amenizam as carências e os traumas. Muitas vezes são os únicos adultos que os jovens podem dialogar e obter uma orientação, pois seus lares e famílias estão desestruturados , mas neste país com milhões de pessoas doentes pelo ódio, pela intolerância, pelo racismo, pela homofobia ensinado pelos seus pais e o professor tem que além de ensinar, desconstruir esse sentimento e no lugar nutrir com carinho e respeito.
Citar
 
 
0 #7 Igor Stepanenko 03-11-2018 13:44
Fato lamentável e preocupante. Devemos denunciar todo tipo de autoritarismo e intolerância contra professores.
Sugiro um amplo seminário ou coisa similar onde toda sociedade civil participe.
Citar
 
 
0 #6 Helena 03-11-2018 13:30
Solidariedade a professora e ao SINPRO. Não é interferência na escola e na educação, apenas. É na vida privada da professora, que se manifestou no FB!
Citar
 
 
0 #5 Angela Ubal 03-11-2018 12:57
Lamentável vivemos num País democrático justiça isso não pode ficar por isso mesmo respeito e abaixo o Preconceito!
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar