Últimas Notícias:
16 / 1
Retrospectiva 2017 3/4 PDF Imprimir E-mail
Destaque
Qui, 14 de Dezembro de 2017 13:11

Julho de 2017

04

Protestos em todo o Brasil dizem não às reformas de Temer

“O saldo da jornada desta sexta foi positivo e amplia a resistência às reformas. Onde houve chamamento pelas direções, as bases responderam”, avaliou Adílson Araújo, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) em entrevista à Agência Sindical. Cerca de cem localidades, passando por capitais e pequenas cidades, realizaram paralisações nesta sexta-feira (30) contra as reformas da Previdência e Trabalhista de Michel Temer.

Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Distrito Federal, Rio Grande do Sul e Minas Gerais realizaram fortes paralisações com intensa participação dos setores dos transportes públicos. O destaque foi para o Distrito Federal que amanheceu com metrô e ônibus nas garagens mesmo com determinação na justiça de manter efetivo mínimo funcionando.

 

 

 

2a

“100 anos da Greve Geral no Brasil”

No dia 09 de julho o país comemorou 100 anos da primeira greve geral no Brasil.

O primeiro movimento de que se tem registro ocorreu em São Paulo, em um período de forte influência anarquista, mas também com participação dos socialistas. Era o início da organização operária no país. Nesse período também teve início a mobilização social que daria suporte ao fim da chamada República Velha e o surgimento do Estado Novo com Getúlio Vargas. Em 1943, foi criada a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), hoje objeto de “reformas” por parte do governo Temer.

1917 - Um marco do movimento operário no Brasil

A Greve Geral de 1917 ficou conhecida em todo o País pela paralisação da indústria e do comércio que aconteceu, em Julho daquele ano. O movimento surgiu como resultado de diversas organizações operárias. Esta mobilização foi uma das mais abrangentes e longas da história do Brasil.

6aGolpistas aprovam Reforma Trabalhista, sem alterações

O plenário do Senado aprovou o projeto de lei (PLC 38) de "reforma" da legislação trabalhista. Foram 50 votos a favor e 26 contrários, com uma abstenção. A votação foi concluída por volta das 19h50, depois de mais de seis horas de sessão suspensa, devido a uma ocupação realizada por um grupo de senadoras da oposição. Conforme queria o governo, o texto foi aprovado sem mudanças.

A oposição ainda tentou aprovar algum destaque, para que o projeto voltasse à Câmara. Sem mudanças, o PLC 38 vai à sanção de Michel Temer. O governo diz que fará alterações via medida provisória. "Esta reforma é para diminuir a rede de proteção social e precarizar as condições de trabalho", disse Humberto Costa (PT-PE). "Este projeto não vai criar empregos, e sim subempregos", afirmou Telmário Mota (PTB-RR).

 

 

 

4a

Dia 20 tem povo na rua em defesa da democracia

Com as bandeiras em defesa da democracia, por Fora Temer e Diretas Já e contra a implementação da Reforma Trabalhista, organizações dos movimentos sindical, sociais e partidos vão às ruas de todo o país na próxima quinta-feira (20).

Em São Paulo, a mobilização acontece na Avenida Paulista, a partir das 17 horas.

Além de São Paulo, os atos acontecem em todo o país.

Durante a reunião em São Paulo para organizar os atos, o membro da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) Guilherme Boulos alertou que é preciso impedir o caráter partidário do Judiciário.

“Vivemos período de profundos retrocessos sociais e democráticos. A condenação de Lula pelo Moro é mais um golpe à já combalida democracia brasileira, porque quando a justiça toma partido, condena sem provas, age pela presunção da culpa e um juiz se torna acusador, há algo sério acontecendo. Por isso fazemos parte dessa campanha que repudia essa acusação sem provas como parte da tentativa de tirar no tapetão o Lula da disputa política”, avaliou.

 

4a

9º CONGRESSO DA FEPESP: RESISTÊNCIA E UNIDADE!

A Federação dos Professores do Estado de São Paulo - Fepesp irá realizar o seu 9º Congresso, em São Paulo, nos dias 22 a 24 de setembro. O Congresso da Fepesp irá reunir delegados dos 25 sindicatos integrantes da Federação, representando os professores, técnicos de ensino e auxiliares de administração escolar na rede privada do Estado de São Paulo.

Este será um Congresso de trabalho e de organização da luta.

 

 

 

 

 

 

Agosto 2017:

5a

CUT/Vox Populi: 93% dos brasileiros querem Temer investigado

A Câmara dos Deputados não parece, porém, inclinada a realizar o desejo da opinião pública

Caso se confirmem as previsões dos analistas políticos, a Câmara dos Deputados mais uma vez tomará uma decisão completamente dissociada do desejo dos eleitores. Segundo nova rodada da pesquisa CUT/Vox Populi, 93% dos brasileiros acham que os parlamentares deveriam acatar o prosseguimento da investigação contra Michel Temer.

Os deputados decidem nesta quarta-feira (2) se autorizam ou não a abertura da investigação contra Temer. Se aprovado no Parlamento, o assunto retorna ao Supremo Tribunal Federal. Cabe aos 11 ministros da Corte decidir se o peemedebista se torna réu ou não na denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República. Em caso positivo, Temer seria afastado do cargo por até 180 dias. Rodrigo Maia, presidente da Câmara, assumiria interinamente a presidência da República.

Uma Comissão da Ordem dos Advogados do Brasil apreciou o texto da Reforma trabalhista e identificou 18 inconstitucionalidades. “Em plena crise de representação política nacional, utilizando-se do instituto do regime de urgência, o Congresso aprovou uma reforma sem a necessária e ampla discussão, mitigando a participação da sociedade civil que seria fundamental para construção de alternativas capazes de promover reais avanços nas relações laborais”, relatou o documento da OAB.

 

06

Acordo coletivo por 2 anos        

Professor e professora: fique atento!

Nosso acordo coletivo é válido por dois anos: 2017 e 2018.

Faça valer seu direito.

Qualquer dúvida procure o SINPRO ABC.

Campanha Salarial dos professores da Educação Básica poderá ser afetada pela Reforma Trabalhista, caso não haja reação dos trabalhadores!

A campanha Salarial dos professores das escolas particulares do estado, é unificada entre os 27 sindicatos que compõem a Federação dos Professores do estado de São Paulo, Fepesp. A data base da categoria é 1º de março, quando são negociados reajuste salarial e Convenção Coletiva de Trabalho.

Para 2018, os professores e professoras da educação básica terão um desafio maior, já que  nossa campanha salarial será realizada sob a regência da reforma trabalhista (Lei 13.467), sancionada em julho deste ano e que entra em vigor a partir de novembro.

 

10aDocentes da Metodista de Piracicaba voltam ao trabalho e professores (as) da Metodista de São Bernardo avaliam a qualidade do ensino na Instituição.     

Reunidos na noite desta terça-feira, dia 22, os professores da Unimep decidiram, por maioria, aceitar o acordo de conciliação feito no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e suspender a greve iniciada no dia 31 de julho.

O acordo, proposto pelo vice-presidente judicial do Tribunal Regional do Trabalho, o desembargador Edmundo Fraga Lopes, prevê o pagamento de salários dos 15 dias parados no dia 2 de outubro e, o salário de agosto, no 5º dia útil do mês de setembro. Também foi garantida estabilidade no emprego por 60 dias e a não punição dos alunos envolvidos na ocupação dos campi.

 

Setembro 2017

 

11aSINPRO ABC é tema de artigo científico apresentado em Congresso Brasileiro de Comunicação

A participação dos professores e professoras das escolas particulares do ABC na greve geral do dia 28 de abril de 2017 se transformou em um artigo científico que será apresentado no 40° Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (GT Cidadania) – Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. O Congresso será realizado de 04 a 09 de setembro, no Campus da Universidade Positivo em Curitiba.

Sob o título, “Comunicação de Interesse Público: interação na busca da consciência crítica em face aos direitos trabalhista e previdenciário”, o artigo faz uma análise de conteúdo da divulgação de pautas jornalísticas com enfoque na comunicação de interesse público, a partir do anúncio realizado por centrais sindicais, de modo específico a Central Única dos Trabalhadores (CUT), para conclamar trabalhadores e trabalhadoras em todo o país a participarem da greve geral, realizada no dia 28 de abril de 2017.

 

12a

Campanha para anular a Reforma Trabalhista já está nas ruas

Lançada em todo país, durante as manifestações do Grito dos Excluídos, campanha vai colher 1,3 milhão de assinaturas para revogar golpe contra CLT.

As manifestações do Grito dos Excluídos, nesta quinta-feira (7) em todo o país, foram o espaço de lançamento nacional da Campanha Pela Anulação da Reforma Trabalhista, que vai coletar 1,3 milhão de assinaturas para um Projeto de Lei de Iniciativa Popular que propõe a revogação da Reforma Trabalhista de Temer, prevista para entrar em vigor no próximo dia 11 de novembro.

Após o recolhimento das assinaturas, o projeto será entregue à Câmara dos Deputados, com o lançamento de uma nova etapa da campanha, para exigir a votação da proposta. O objetivo do Projeto de Lei de Iniciativa Popular é fazer com que essa medida se some a outras 11 leis revogadas por meio desse instrumento.

Diretores do Sindicato dos Professores do ABC se reúnem com o deputador federal Vicente Paulo da Silva (Vicentinho/PT SP) para discutir problemas da categoria, a situação da Fundação Santo André e as ações da classe trabalhadora contra as reformas Trabalhista e da Previdência.

14a

SINPRO ABC condena repressão policial e prisão de professores em Santo André

A direção do Sindicato dos Professores do ABC vem a publico manifestar sua indignação e repúdio contra a repressão policial e prisão do professor, Rafael Buenno, em uma atividade pacífica realizada nesta quarta-feira (20).

Um grupo de professores e ativistas panfletava contra o projeto “Escola Sem Partido” na estação ferroviária Celso Daniel, em Santo André, quando foi abordado de maneira truculenta pela Polícia Militar.

Um dos professores (Rafael Buenno) foi acusado de desacato à autoridade, por filmar a ação da PM, e foi detido, ficando preso por horas na delegacia. Tudo isso por se manifestar contra um ataque à sua categoria e sua atividade profissional.

 

 

15

Diretores do Sindicato dos Professores do ABC se reúnem com o deputador federal Vicente Paulo da Silva (Vicentinho/PT SP) para discutir problemas da categoria, a situação da Fundação Santo André e as ações da classe trabalhadora contra as reformas Trabalhista e da Previdência. 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar